FOTO 1.jpg

Professora Zarinha

Com 47 anos de dedicação e experiência de ensino, a Professora Zarinha é uma das mais destacadas e reconhecidas autoridades em língua portuguesa do Nordeste e do país. Ao longo de sucessivas gerações, seu legado é amplamente propagado por milhares de agradecidos ex-alunos, que exercitam o pleno domínio do português e o gosto pela cultura em diferentes lugares do Brasil e do mundo. Como professora, é frequentemente requisitada por instituições públicas e privadas para capacitar seus funcionários no dominio da norma culta de nossa língua. Como escritora, teve publicado, em dois volumes, "As obras de arte que todos tem que conhecer e interpretar", livro produzido em co-autoria com Stênio Sarmento. 

História

O início

A trajetória

O propósito

Reconhecimento

Zarinha, como também é carinhosamente chamada, nasceu em João Pessoa, na Paraiba. Iniciou sua carreira já aos 17 anos, quando passou a substituir ao pai, também professor de português. Com o aumento da demanda por suas aulas, passou a ensinar alem de gramática, a literatura. Eis a gênese do que viria a ser o seu curso Completo de Português. Como leitora assidua desde a infância, Zarinha seguiu sua vocação e concluiu formação acadêmica em Letras. Anos depois, completou a formação em Direito.

Sua dedicação ao ensino e o domínio absoluto de nosso idioma rapidamente a tornou um dos destaques no cenário da educação paraibana. Contabilizando apenas o período em que manteve o seu concorrido curso Completo de Português, Zarinha ensinou durante 30 anos, período mais que suficiente para conquistar a admiração de pais e estudantes, que acorriam às suas aulas como uma garantia de favoritismo na disputa por uma vaga na universidade.

Com disciplina, estudo e entrega profissional, Zarinha desenvolveu um método próprio de apresentar e fixar os conteúdos que ela prepara. Em 2005, inaugurou e deu nome ao seu próprio Centro de Cultura, disposta a empreender pelo maior alcance da língua portuguesa, mas também, como "mestra múltipla", com o propósito de promover uma formação cultural harmônica. Zarinha, capaz de falar sem embaraços sobre a gramática ou a escrita mesopotâmica, sobre simbolismo literário ou a diáspora judaica, encontrou, em seu espaço de reflexão e propagação de ideias, um modo de ativismo cultural que inspira e transforma a vida de milhares de pessoas.

Zarinha não cede diante dos elogios: já foi chamada, por seus admiradores, de polímata (do grego "aquele que aprendeu muito"), pelo notório conhecimento em diversos assuntos. Já ouviu termos como "livre pensadora", "autodidata" e até "mulher renascentista", numa alusão ao ideal de homo universalis, completo e multifacetado, buscado no Renascimento, de origem italiana. Gratidão à parte, Zarinha segue, sem vaidades mundanas, em seu sacerdócio a favor da norma culta, da sensibilidade estética e da educação como vias de desenvolvimento humano.

Professora Zarinha Centro de Cultura
Professora Zarinha Centro de Cultura
Professora Zarinha Centro de Cultura
Professora Zarinha Centro de Cultura
Professora Zarinha Centro de Cultura
Professora Zarinha Centro de Cultura
Professora Zarinha Centro de Cultura